Opinião: Os verdadeiros Big Brothers






Donos da Rede Globo, os 3 irmãos Marinho formam uma irmandade de 25 bilhões de dólares, explícitos nas páginas da revista Forbes.

Una e indivisível, a bilionária trindade global formada pelos Marinhos oceânicos, desponta em primeiro lugar entre os brasileiros mais ricos.

Bill Gates, é a maior fortuna do planeta. Os Marinho, entre os 30 mais ricos da face da Terra, estão no restrito pelotão de elite. Atrás deles, vem a congesta humanidade, com 7 bilhões de sobreviventes, prontos para serem os exterminados / exterminadores do futuro improvável.

Não. Não me afligem, nem me incomodam, as riquezas humanas, que, desde as minas do rei Salomão, nunca aguçaram minha inoperante cobiça, nem minha desativada avidez.

A questão relevante, para mim, é saber como é obtida a fortuna.

Dinheiro limpo não fica tingido de sangue, encharcado de lágrimas ou borrado de lama. Nem deve ser subtraído de seu justo lugar para amontoar-se em mãos indevidas.

Quem recebe, do Governo, um canal de TV, pode ganhar dinheiro. É a regra do jogo. Mas, essa iníqua regra do jogo estabelece quem o jogará, e o ganhará, sempre, por W.O.

A indecência começa aí.

A concessão tem regras tortas. Pelas regras, o Governo - que é o poder concedente - torna-se submisso porque acaba sendo mais fraco do que o concessionário do canal, que faz o que bem entende: descumpre os mandamentos da Constituição, esquiva-se de sua finalidade, atropela a ética, os códigos de auto-regulamentação, e faz, do público, seu refém, seu dependente.

Os Marinho figuram entre os trinta indivíduos mais ricos do mundo, à custa de explorarem um canal de televisão pertencente ao Governo, isto é, ao povo brasileiro.

Eles ganharam dinheiro vendendo desinformação, alienação, deformação, novelas, BBBs, e toda a porcaria assistida por milhões de brasileiros, por gerações que poderiam ter sido formadas se, no mínimo, a Globo cumprisse as modestas exigências constitucionais que mandam a mídia dar prioridade à informação, à cultura, à arte... e, por mais que eu leia a Carta Magna, não encontro ali a apologia aos heróis do Bial.

Mas a atual e progressiva queda dos níveis de audiência da programação da Globo (Jornal Nacional, Novelas babilônicas, e toda a porcaria que fede (puzza!) - repito as expressões proclamadas pelo Papa Francisco - é sinal de que o povo está saturado, e desperta.

O que os Marinho já ganharam com a GLOBO, dá-lhes para gasto. -

E eles não serão excluídos do ranking dos maiores bilionários do mundo se doarem, para a UNESCO, 1 por cento dos seus 25 bilhões. O valor equivaleria à arrecadação total do Criança Esperança durante 28 anos, desde a sua fundação, em 1986, essa caridade farisaica que os Marinho vêm praticando com a generosa mão de seus pobres telespectadores.

P.S. Documentos do Wikileaks dizem que a Globo repassava, à UNESCO, somente 10 por cento da arrecadação do Criança Esperança. (Leia aqui http://bit.ly/1tazUIr)

Globo, já não te vejo mais por aqui.

Busca



Newsletter

Cadastre o seu e-mail abaixo e receba as nossas newsletters:




Parceiros

Cascione Advogados Associados City Parking Melting-Pot Production Anuncie aqui